sábado, 12 de julho de 2014

Editora Valentina [RESENHA #98°] Destino Mortal

Destino mortal
Suzanne Brockmann

Nome: Destino Mortal
Título original: Born to darkness
Tradução: Renato Motta
Páginas
: 535.
Pontuação: 4 Cubinhos
Publico alvo - Maiores de 18 anos.
Sinopse - Destino Mortal - Destiny - Livro 01 - Suzanne Brockmann
Expulso de um grupo de elite de forma desonrosa, o ex-Navy SEAL Shane Laughlin está com seus últimos 10 dólares no bolso quando, finalmente, consegue um emprego para participar de um programa de testes no Instituto Obermeyer (IO), uma fundação de pesquisas e desenvolvimento desconhecida do grande público e que trabalha com atividades secretas.
Logo, Shane descobre que existem certos indivíduos que têm a habilidade única de conseguir acesso a regiões inexploradas do cérebro, com resultados extraordinários, incluindo telecinesia, força sobre-humana e reversão do processo de envelhecimento. Conhecidos como Maiorais, essas raras figuras são criadas ou recrutadas pelo IO, onde, rigorosamente treinadas com o auxílio de técnicas ancestrais, conseguem cultivar seus poderes e usá-los de forma responsável.
No entanto, nas profundezas da segunda Grande Depressão dos Estados Unidos, onde o abismo social entre os que têm muito e os que não têm nada ameaça a ordem de forma definitiva, ricaços imprudentes descobriram uma alternativa sedutora na forma de um novo produto: Destiny. Trata-sede uma droga de fabricação quase artesanal, capaz de transformar qualquer pessoa num Maioral, além de oferecer a atração especial de garantir a juventude eterna para o usuário.
O cartel sinistro conhecido como a Organização começou a produzir Destiny em larga escala, e a demanda pela droga se tornou epidêmica. Poucos, porém, sabem do verdadeiro perigo da nova droga, e são ainda em menor número os que detêm o segredo sujo do ingrediente crucial para a fabricação da substância. Michelle “Mac” Mackenzie é uma das poucas que conhecem toda a verdade.

De inicio, eu considerei o livro totalmente estranho, e de pouco entendimento. Mas calma, isso só foi nos dois primeiros capítulos, por isso se você começar a não entender o livro, tenha um pouco de paciência. Digo isso porque conheço pessoas que gostam de se prenderem logo de inicio.
 Esses primeiros capítulos vão relatar a cena de um acontecimento de uma pessoa que se ''coringa'' ou no mais popular, por mais que não faça tanto jus ao significado, porém é o jeito fácil, se viciou em uma substância conhecida de Destiny. A mesma promete que o ser humano consiga usar mais do que apenas 10% do que eu cérebro costuma a funcionar.  Poucos sabem que existem os Maiorais, que são pessoas que não precisam da droga para usar mais do que 10% conhecidos como os minorais. Temos por exemplo o Bach, que atinge 72 porcento, a Mac que de inicio, uns 50%, o Stef (apelido carinhoso meu.) que atinge os 68, e lá vai o bonde, depois explico mais sobre isso(ou não porque pode ser spoiler u.u). Para explicar a história, a autora cria uma personagem chamada Nika, uma adolescente quase-comum, ela consegue atingir os 20%  do seu cérebro, só que o instituo do qual os maiorais trabalham para combater a Destiny e trabalharem seus potenciais (que são como a Nika, que poderam se transformar em futuros maiorais) não são os únicos a estarem a procura dos mesmos. Como expliquei a Destiny é uma droga. (finja que é uma cocaína da vida especial, que te faz fritar cérebros com uma palavra, que te faz voar só com o pensamento, que te faz curar com sexo, e assim vai o bonde) que ajuda a ampliar os ''sentidos'', só que essa é a parte suja de toda a trama, para conseguirem fazer a Destiny, eles precisam dos potenciais entre os que eles conseguirem capturar. Tudo isso se torna mais intenso quando descobrem que existe um elemento que é capaz de aumentar essas porcentagens mentais dos maiorais, Shane, que é um ex-Navy SEAL, consegue aumentar isso em Mac, além de aumentar o poder de cura, outras coisinhas mais. Acho que eu já falei muito não é? O livro é bem complexo e bem amarrado, todo nó que a autora faz ela desata e ata, desata para termos perguntas e as ata para responder. É um livro que te faz pensar, e que se você não tiver o raciocinio rápido (diferente do meu) vai ter que voltar algumas vezes para conseguir entender (não, eu não consegui entender tudo, porque é bastante coisa) O livro é recheado de cenas quentes que dão ao livro bons comentários de outros autores e jornais famosos  Como Booklist e J . R. Ward.
Se você se perdeu em alguns pontos, vamos recapitular, confira a página 89 para entender o que são potenciais.

Informações adicionais:

Ah outra coisa, creio que as partes mais divertidas é quando um maioral entra na cabeça da pessoa e lê seus pensamentos, e algumas pessoas entregam justamente isso:

''- Cometi o erro de pensar nele sem roupas antes de saber que ele conseguia ler minha mente. (Anna)''

A autora também, aposta em trabalhar o lado homossexual, o que deixa a história muito divertida com o pensamento dos dois- página 103.

Shane, consegue atingir pouco da porcentagem cerebral, alcançando os 17%, porém com a atração entre ele e Mac,  junto com a pegação deles, aumenta a porcentagem de cura dela e sua porcentagem cerebral.

Se você quer rir, vá na página 260, pois é lá que você se diverte com piadas '' de laboratório''

Como Mac está sempre desprezando Shane, para que ela não se apaixone por causa de seu poder atrativo, algumas tentativas de fora da Mac, podem render gargalhadas MUITO ALTAS.

''- Vá se foder é uma reação de tédio? porque, lá na minha terra vá se foder, é uma demonstração de raiva. É pertubação total. É tipo..vá se foder! Eu não deixo você entediada Michelle. Na verdade, eu deixo você com o *# na mão de medo'' tinha muito palavrão para uma frase só u.u então a explicação dos *#.

pros e contras
No geral eu adorei o livro, mas dei 4 cubinhos, porque as vezes a quantidade de informação deixa o livro meio prolixo, e meio carregado demais, e muitas vezes você se perde, pelo menos eu me perco, mas se você é adepto de muitas informações, esse livro é brigadeiro geladinho. Porém, eu adorei a capa misteriosa, e a edição dela é quase perfeita, a capa parece sei lá, uma espécie de veludo, é do tipo que você fica alisando e amando o livro..ahhh livros *-* Quando digo que o livro é quase perfeito na edição, é que vocês já sabem que eu, particularmente eu, não gosto de livros com folhas brancas, conheço várias pessoas que preferem as brancas do que as amareladas, para mim... incomoda por causa da luz, reflexo, óculos de leitura e etc.
Mas se você quer ação, desejo a flor da pele (como diz a Booklist) com muito suspense, esse livro é para você! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário